Eloy Fonseca

Há sempre algo de ausente que me atormenta. (CamilleClaudel)

Textos

Voltando
Mudei aqui pra cidade.   
Prum mundão sem porteira.
Do ranchinho sem vaidades.    
La pertinho da fronteira.

Já troquei o meu cavalo.            
Por um fusca meia-meia,
Mesmo indo neste embalo,    
Falta algo na minha teia.

Hoje longe do regato.                
Água quente na torneira,
Mas a alma está no mato.          
Pescando a noite inteira!

Já faz mais de 20 anos.              
Que vivo na fumaceira
Só de raiva vou pro mato.        
Pra pescar a noite inteira!

Bala perdida acossa.                 
Mentiras e muita zoeira.
To voltando lá pra roça.            
Pra pescar a vida inteira!
Eloy Fonseca
Enviado por Eloy Fonseca em 14/12/2010
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras